Estado e empresariado nacionais na condução da política externa brasileira para África no governo Lula

Data de inserção: 06/11/2016

O artigo analisa interações entre membros do empresariado e o governo brasileiro durante o governo Lula, de 2003 a 2010, no âmbito das políticas públicas domésticas e externa nacionais que teriam fomentado as rela- ções com países africanos com vistas a ganhos instrumentais. Defende-se que tanto atores privados quanto estatais, por convergências e/ou associações de interesses, teriam obtido vantagens ao trabalhar sincronicamente. Enquanto o setor privado lograria diminuir seus custos políticos e financeiros com investimentos no exterior, o governo brasileiro, paralelamente, poderia utilizar-se desses investimentos privados como meio de expandir sua influência internacional e lograr seus objetivos. Nesse contexto, foram analisados três casos de empresas brasileiras que realizaram investimentos na África no período indicado.

 

PUERARI, Gustavo Miranda. Estado e empresariado nacionais na condução da política externa brasileira para a África no governo Lula. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, n. 64, p. 275-295, ago. 2016. Disponível em:http://www.revistas.usp.br/rieb/article/viewFile/119553/116858